Maré de sensações

IMG_9340

Estar aqui é sentir. Sentir de tudo. Sentir o cheiro do incenso, sentir o aroma das flores que estão por todos os lados. Sentir o peso da distância, o sabor do cominho. Sentir a energia das orações e o silêncio que aquieta a todos. Sentir saudades de casa, sentir falta dos amigos, sentir o peito espremer ao lembrar dos momentos me família.

Sentir novas chances a caminho, sentir o ventinho que vem das portas se abrindo, sentir a pele arrepiando ao lembrar que a volta não tem data.

Sentir o coração feliz com as novas amizades, sentir a generosidade dos que te acolhem, sentir muito por finalmente enxergar que quem você achava que era de verdade,  na verdade, é de mentira.

Estar aqui é sentir-se fora do ninho, é sentir a dificuldade de carregar galho por galho para construir um ninho novo. Sentir a garganta fechando por não tem com quem falar e sentir-se aliviada por entender tantas outras línguas. É sentir a vibração dos tambores embalando danças folclóricas, sentir medo da cobra que sobe enfeitiçada, sentir dó dos macacos a postos na praça para tirar foto em troca de dinheiro. Sentir o cheiro do chá de menta todos os dias, sentir saudades do melhor café do mundo.

Sentir que você se importa demais com quem se importa “de menos”. Sentir o distanciamento crítico o que e quem realmente importa.

Sentir a fraqueza mandar você voltar e sentir a coragem insistindo para você ficar. Sentir o cheiro de coisas e lugares que estão muito longe apenas na lembrança da saudade. Sentir-se perto graças a internet e sentir-se longe quando a noite cai e a luz se apaga. Sentir-se confusa todas as manhãs ao acordar tentando lembrar onde você está.

É sentir a pele coberta de roupa arder no sol das 15h e sentir o frio gelar o corpo às 21h. Sentir os pensamentos acordados por 24h, sentir os sonhos mais vivos, sentir as diferenças te aproximarem de você mesma, sentir o fantasma do desconhecido virar amigo íntimo.

Estar aqui é sentir tudo aquilo que o tempo havia lhe tirado o prazer de sentir, que a rotina tinha te impedido de sentir. É sentir o sabor agridoce da mudança e sentir que o mundo pode ser infinito para os que se permitem, apenas, sentir.

3 comentários Adicione o seu

  1. Nádia Mofatti Adorável Mor disse:

    Lindo texto !!!!!!!!

    Curtir

  2. Paola de picciotto disse:

    Lilian, você faz a gente sentir o que você sente através das suas palavras . Lindo 👏👏👏

    Curtir

  3. ………… To esperando o livro!!!!!!!!! bjoooooo

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s